Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Todo mundo vê formigas

Titulo : Todo mundo vê formigas
Autor: A. S. King
Gênero: YA Contemporâneo
Editora : Gutenberg 
ISBN: 978-85-8235-411-7
Páginas: 240 
Nota: 3.5 / 5

Sinopse: 
A 1ª coisa que você precisa saber é que tudo o que eu fiz foi uma pergunta idiota. A 2ª coisa que você precisa saber é que essa pergunta idiota me trouxe muitos problemas com Nader McMillan, o cara que faz bullying comigo desde que eu tinha 7 anos. E uma semana atrás ele pegou bem pesado comigo. Foi aí que eu comecei a ver formigas. A 3ª coisa que você precisa saber é que meu avô Harry desapareceu durante a Guerra do Vietnã e nunca foi encontrado. Então, todas as noites, eu tento resgatá-lo da sua prisão na selva em meus sonhos. Mas nunca consigo. A 4ª coisa que você precisa saber é que minha mãe é uma lula e meu pai, uma tartaruga. Ela tenta afogar os seus problemas nadando o dia todo em uma piscina pública, e ele nunca está por perto e desaparece dentro da casca no primeiro sinal de confronto. Então, se juntarmos Nader McMillan, a minha pergunta idiota, vovô, e tudo o mais na minha vida, somos só eu e as formigas. “A grande sacada de Todo mundo vê formigas é que ele vai ajudá-lo a entender que as pessoas que parecem muito diferentes de você, na verdade são muito parecidas. Faça um enorme favor a você mesmo e leia este livro!” - James Patterson, autor da série best-seller Bruxos e Bruxas.


“Simplesmente sobrevivo. Quando eles me torturam, mostram que são fracos. Quando eu sobrevivo, mostro que sou mais forte que eles.”

Bullying é um assunto atual, sempre. O que, para o bem e para mal, o torna um assunto muito abordado principalmente na literatura YA. Porém A. S. King consegue pegar um assunto um tanto saturado e dar um novo brilho e uma história muito tocante.
Lucky sofre Bullying e isso não é uma novidade, aparentemente todo mundo sabe que ele vem passando por um momento difícil, mas no fim todo mundo está, então ninguém realmente se importa com o que ele está passando, nem mesmo Lucky, isso até ele começar a ver as formigas.

“As formigas dizem: Mas todo mundo está sangrando um pouco não?”

De uma forma geral eu gostei muito do livro, e foi um primeiro contato positivo com autora, porém me alegra saber que essa não é considerada a melhor obra dela, pois tive alguns problemas principalmente com a construção de alguns personagens, que ficou vaga. Por se tratar de um realismo mágico (ou melhor, um realismo esquizofrênico) não tem como esperar que ela explicasse todos os aspectos da história (principalmente a parte das formigas, e sonhos malucos). De qualquer forma alguns aspectos e principalmente relações entre personagens ficaram muito vagos, além de vários problemas terem sido lançados e não terem uma conclusão final.

Lucky no geral é bem construído e seu plot bem desenvolvido, principalmente se tratando da questão do seu emocional e sua visão de si próprio. É uma ótima experiência de crescimento de personagem, especialmente quando se trata da maneira com que ele lida com os próprios medos.
Entretanto os outros personagens são, praticamente todos, um copo raso, não apresentam crescimento, e basicamente só representam estereótipos clássicos.

O livro foi sim surpreendente, pois eu não esperava muito, principalmente por ser um assunto saturado. A. S. King pode ter pecado em alguns pontos, porém conseguiu construir uma história consistente e tocante, o livro não é maior do que precisava ser e consegue abordar muito bem tudo que se propõe nas pouco mais de 230 páginas de narrativa.

“O mundo está cheio de babacas. O que você está fazendo para ter certeza de que não é um deles?”
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!