Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: O casal que mora ao lado


Título: O casal que mora ao lado
Autora: Shari Lapena
Gênero: Suspense / Thriller Psicológico
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501109545
Páginas: 294
Nota: 3,5

Sinopse: 
Tudo começou em um jantar... Um thriller psicológico surpreendente da autora best-seller internacional Shari Lapena. É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa; afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando. Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta; Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.

Anne e Marco são convidados para um jantar na casa de seus vizinhos, o problema é que a anfitriã não gosta de crianças e a babá desmarcou de última hora. O casal acaba concordando em ir ao jantar e se revezar para olhar a bebê a cada meia hora, afinal, a casa é ao lado. Nada de mal poderia acontecer, mas acaba acontecendo. Cora, a filha do casal, desaparece.


Anne é mãe de primeira viagem, está enfrentando uma depressão pós-parto, não está contente com seu corpo e com a vida que está levando, mas luta para mostrar que pode sim ser uma ótima mãe apesar dos problemas que está enfrentando.


Marcos tenta como pode conciliar a empresa e a família, mas não é fácil, a empresa está em crise e sua esposa está passando por uma fase difícil. Na tentativa de ajudar Anne, Marco a convence a deixar a bebê em casa para que eles possam ir ao jantar na casa ao lado se divertir um pouco, como segurança decidem que vão se revezar para ver a filha a cada meia hora e levar a babá eletrônica para ouvir se a pequena Cora chorar.
Mas algo dá errado e Cora desaparece. E a partir daí acompanhamos o desespero do casal, a investigação, as mentiras e as histórias do passado dessa família.


Se você está procurando por um livro de mistério, não indico O casal que mora ao lado. O começo é cheio de teorias sobre o que teria acontecido com Cora e eu estava amando desconfiar de todos os personagens, mas o mistério logo é revelado para o leitor. O problema nem foi o mistério ser revelado porque os personagens tem histórias fortes o suficiente para sustentar o livro, o problema foi que enquanto eu, leitora, sabia o que tinha acontecido, os personagens da trama não e continuavam bolando teorias que não eram reais e isso me fadigou um pouco.
O livro até tenta trazer algumas reviravoltas na trama, mas não me surpreendi muito com elas também.


“Anne fica se perguntando se parece estar muito bêbada, o que esse detetive deve estar pensando dela. [...]. Sente vergonha da impressão que devem estar passando para o policial, pais embriagados que abandonaram a filha de seis meses. Serão acusados de algum crime?


Eu não posso deixar de falar do detetive Rasbach, mesmo não fazendo parte do grupo de personagens principais ele me ganhou completamente simplesmente por ser um verdadeiro detetive, fugindo do clichê de policial com trauma do passado, durão, que adora seguir seu instinto. Ele é firme quando precisa, sensível quando necessário e segue as pistas reais encontradas e claro, desconfia de todo mundo como um bom detetive deve fazer.


Se você não se importa muito com o mistério e surpresas e adora histórias que exploram o psicológico dos personagens, estilo Garota exemplar de Gillian Flynn, você tem um prato cheio. Acredito que o objetivo da autora tenha sido o de explorar como as mentiras e a falta de comunicação podem afetar a vida das pessoas, se foi esse o objetivo de Shari Lapena, ela fez muito bem.


Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!