Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: A fera em mim

Título: A fera em Mim
Autora: Serena Valentino
Gênero: Fantasia
Editora: Universo dos Livros
ISBN: 9788579309977
Páginas: 192
Nota: 3

Sinopse: 
Um príncipe amaldiçoado se isola em seu castelo. Poucos o viram, mas aqueles que conseguiram tal proeza afirmam que seus pelos são exagerados e suas garras são afiadas como as de uma fera! No entanto, o que levou esse príncipe, que já foi encantador e amado por seu povo, a se tornar um monstro tão retraído e amargo? Será que ele conseguirá encontrar o amor verdadeiro e pôr um fim à maldição que lhe foi lançada? Em A fera em mim, conheça a história por trás de um dos mais cativantes e populares contos Disney de todos os tempos- A Bela e a Fera! 



"A transformação física era apenas uma parte da maldição."
Com intuito de complementar a história original e explicar a maldição da fera, o livro vai contar o passado do príncipe além de trazer o seu lado de algumas cenas que somente vimos o lado da Bela.

Como a maioria dos contos, a história se passa nos tempos de realeza, ou seja, um passado bem distante. O príncipe não foge da descrição da maioria das pessoas da nobreza. Uma pessoa que se importa com a beleza e a posição social.



O príncipe é um jovem que adora caçar e paquerar as jovens. Sempre ao seu lado está seu melhor amigo, Gaston. Sim queridos leitores, Gaston é o melhor amigo do príncipe da Bela. Eles se conhecem desde criança e o jovem caçador já salvou a vida do príncipe uma vez.

Até que um dia o príncipe se apaixona por uma jovem e pretende se casar. Seu melhor amigo alerta que esta não é a melhor escolha por conta da posição social da moça. Conta que a lindíssima senhorita é filha de um cuidador de porcos e o casamento com ela não seria bem visto pela sociedade.

Sim, neste livro vamos ver mais uma realidade da sociedade do passado (se bem que ainda temos muito disso na nossa sociedade atual, infelizmente). O machismo no seu mais descarado lado. Para os jovens, as mulheres devem ser belas e sem personalidade. Expressar sua opinião esta totalmente fora de cogitação. Mulheres lendo? Um absurdo, pois não há necessidade de pensar, o homem esta aqui para tomar as decisões importantes.

"Frequentemente se sentia inferior por ter nascido mulher, sem ter tutores como seu irmão tinha ou a liberdade para explorar o mundo. As mulheres conheciam o mundo através de seus pais, seus irmãos e, tivessem sorte, seus maridos. Não parecia muito justo. "
"É por isso que os homens não levavam as mulheres a sério: elas tinham aulas sobre como caminhar, enquanto eles aprediam línguas antigas."
"Por dentro, estava queimando de raiva, mas sua Babá alertou-a para nunca demonstrar raiva. Ficar irritada não era coisa de mulher. A Babá disse que é comum as mulheres se sabotarem inconscientemente, quando abordam o marido e questionam suas atitudes. Ficar quieta e não falar nada ja era uma forma de repreensão. "

Somando o fato de se tratar de um jovem da REALEZA, o rapaz jamais poderia se casar com alguém que não tivesse sangue azul muito menos com alguém com posição social tão baixa.

"O príncipe pensou que essa era uma qualidade muito boa em uma mulher. Ele podia pensar o suficiente por si mesmo e por sua futura esposa."

A princípio o jovem não acredita em seu melhor amigo, mas um dia resolve acompanhá-lo e encontra sua amada alimentando os porcos e comprova que não se tratava de uma mentira de Gaston para tentar afastar o príncipe e assim ficar com a moça.

O príncipe humilha a jovem e sai de lá magoadíssimo com a situação que ela causou. Vai embora sem olhar para trás, deixando um coração partido e uma garota em prantos.



O que ele não imagina é que essa atitude vai trazer seríssimas consequências para sua vida. A jovem era a caçula de 4 irmãs bruxas e aquela cena no chiqueiro era somente um teste que o príncipe reprovou lindamente. Constatando que ele somente estava apaixonado pela beleza da garota e que o amor que ele tanto dizia sentir por ela não existia, a bruxa resolve lançar uma maldição no príncipe para que nenhuma outra jovem sofra o que ela sofreu.
"- Sua esposa? Nunca! Agora eu vejo que você só amava a minha beleza. Vou me certificar de que mais nenhuma mulher o queira, não importa quanto tente encantá-la! Pelo menos enquanto você continuar sendo assim... contaminado por essa crueldade sem fundamento. [...] - E já que não ia pegar esse símbolo de amor da mulher que prometeu cuidar, este será então um símbolo de sua condenação! [...] - Conforme as pétalas forem caindo, os anos irão passar até seu aniversário de 21 anos. Se não tiver encontrado o amor, o verdadeiro amor, dado e retribuído, nesse dia, e o selado com um beijo, então deverá permanecer como a criatura horrorosa que vai se tornar."



Diferente do conto original, a transformação do príncipe em fera foi gradual bem como o esquecimento das pessoas da aldeia em relação ao castelo e das pessoas do castelo em relação a aldeia.

Assim o livro segue mostrando como aconteceu essa transformação e como o príncipe tentou quebrar a maldição antes do pai da bela aparecer em seu castelo e a história ter o fim que todos nós conhecemos.

"É difícil sentir pena daqueles dispostos a viver em um desastre. Eles são suas próprias ruínas, minha querida. Fazem isso consigo mesmos. Não merecem sua misericórdia. Circe suspirou, porque sabia que havia lógica no argumento da irmã; só não havia sentimento. "

Como disse no começo da resenha, acredito que este livro seja um complemento ao conto tão conhecido. Portanto existem partes que a autora não precisou contar pois o foco era mostrar o outro lado de algumas passagens da história.

Um livro curtinho e que eu li em um dia. Claro que, o fato desse conto ser o meu favorito e quando criança eu assisti ao filme umas 3x ao dia, ajudou a rápida leitura.


"Sentiu como se estivesse morrendo. Para morrer, primeiro é preciso estar vivo. E a fera podia finalmente dizer que, ao encontrar o amor, tinha vivido. "
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!