Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Belgravia

Titulo: Belgravia
Autor: Julian Fellowes
Gênero: Romance
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788551000076
Paginas:  368
Nota: 5

Sinopse:
Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalosAmbientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.

 A ideia de Fellowes era trazer um romance estilo folhetim vitoriano. Assim, a cada semana um ebook seria lançado com um capítulo novo da história. Da mesma forma que uma série de TV, você teria que aguardar a semana passar para saber o que aconteceria com os personagens.


No final de 11 capítulos o livro físico então seria publicado e lançado para aqueles que quisessem ter a sua obra na estante.

"O passado, como já foi dito tantas vezes, é um país estrangeiro no qual as coisas eram feitas de forma diferente."

Belgravia traz a história de duas famílias que foram unidas por um segredo. O livro começa mostrando Sophia, filha do casal Anne Trenchard e James Trechard, entusiasmada com um convite para um baile com a condessa. Seu pai é um comerciante influente na sociedade, mas mesmo assim o convite é inesperado pelos pais, pois somente os nobres são convidados para esses bailes.

Com bastante descrição dos locais e costumes, sofremos a imersão nessa época e facilmente consegui montar os cenário e personagens em minha mente. Além disso o autor traz um pouco da história para esta ficção.




O baile da condessa Richmond foi no dia 15 de junho de 1815, há mais de 200 anos atrás, em Bruxelas. Conhecido, pois ao final do baile todos os jovens saíram para batalha de Waterloo, ainda vestidos com trajes de gala.

De volta ao livro, temos Sophia apaixonada pelo lorde Bellasis e o jovem se mostra igualmente apaixonado. Porém, a mãe da jovem tenta fazer com que a filha entenda que o casamento entre um futuro conde e a filha de um comerciante seria uma coisa impossível.

"Havia momentos em que Anne Trenchard ficava irritada com os filhos. Eles sabiam muito pouco da vida, apesar do ar de superioridade. Tinham sido mimados desde a infância, estragados pelo pai, até que ambos tomaram a própria boa sorte como garantida e mal pensavam nela. Eles não sabiam nada sobre a jornada que seus pais haviam empreendido para atingir a posição atual, enquanto a mãe se lembrava de cada mínimo passo em terreno pedregoso."

Após o baile Edmund Bellasis segue para a batalha e deixa Sophia totalmente transtornada. Infelizmente o lorde não sobrevive e pouco tempo depois Sophia também falece. A jovem morreu durante o parto de um filho de Bellasis.

Então já podemos imaginar como esta notícia abalara a família Trenchard. Tentando a ascensão social, o pais de Sophia resolveram levar a filha para longe evitando a mancha em seu nome. Segundo a garota, Bellasis teria enganado com um casamento falso, assim o bebê que ela teria seria um bastardo e o nome dos Trenchard seria manchado.

A jovem morre logo após o parto e seu filho é entregue para ser cuidado com um conhecido de seus pais, o Sr. Pope e Sra Pope, casal que infelizmente ainda não tinha filhos.

"Anne respirou fundo para se acalmar e se levantou. A casa que a esperava era do tipo clássico e esplêndido, parecia um bolo de casamento, e tinha passado os últimos vinte anos sendo construída na recém-batizada Belgravia."

20 anos depois, seu pai, James Trenchard, já tem uma posição social mais elevada mas ainda assim não pode ser confundido com alguém da nobreza. Morando em Belgravia que era um bairro chique que ele mesmo ajudou a construir.

A trama gira em torno das duas famílias: Trenchard e Brockenhurst. Os conde Bronckenhurst e condessa Bronckenhurst são os pais de Edmund Bellasis. Sofrem por não ter nenhum herdeiro e ter que deixar tudo para seu sobrinho John, filho do irmão do conde Bronckenhurst.

"O entretenimento favorito de John não era jogar [...] preferia a companhia das mulheres... quanto mais bonitas, melhor. Em se tratando de senhoras respeitáveis, ele tendia para as casadas. Esposas entediadas eram mai propensas a ceder e, tendo feito isso, não ficavam em posição de pedir mais do que ele quisesse dar."

O fato de não ter nenhum herdeiro deixava o casal mais triste ainda porque sabiam que seu sobrinho era um interesseiro e gastava sua herança sem o tio ainda nem ter morrido. A verdade é que os irmãos Brockenhurst não se davam bem e a cada passagem em que se encontram fica mais claro este sentimento negativo.

"Peregrine olhou para ele, mas não respondeu. Nunca gostara de seu irmão Stephen, nem mesmo quando eram crianças. Talvez fosse por seu saudável rosto rosado. Ou pelo fato de que ele chorava muito, demandando atenção infinita. Houve uma irmã depois dos meninos, mas lady Alice não tinha nem seis anos quando foi levada pela coqueluche. Como resultado, Stephen, que era apenas dois anos mais novo que o irmão, tornara-se o bebê da família, um papel que sua mãe acabou incentivando bastante"

Anne Trechard, em um momento de solidariedade, conta para Caroline Bronckenhurst que sua linhagem não estava perdida, Bellasis teve um filho. Ambas são avós de um jovem de 20 e poucos anos, filho de Edmundo e Sophia. A partir desse momento que toda a história se desenrolará. Quanto tempo para que esse segredo mude completamente a vida dos envolvidos? E como ele vai influenciar a vida de pessoas próximas dos envolvidos também!?

"O fato é que ela tinha contado um segredo de magnitude inimaginável, um segredo que poderia lhes causar danos ilimitados, para uma completa desconhecida, uma mulher sobre quem sabia muito pouco ou nada. Ao fazer isso tinha dado a lady Brockenhurst a munição para derrubar toda a própria família. A pergunta era: essa munição seria usada?"

Mais do que um romance de época, Belgravia traz todas as intrigas, fofocas, segredos revelados e mentiras que uma novela traz para um telespectador. Acredito que a forma que o autor escreveu de maneira direta tornou esse livro tão interessante e de rápida leitura.

Até mesmo os personagens secundários tinham tramas interessante, por isso nem acredito que posso chamá-los dessa forma. rsrsrs

"Por que, por um erro de nascimento, Peregrine morava em um local tão esplêndido, enquanto ele tinha que se contentar com uma casa apertada e suja? Não era de admirar que apostasse, pensou Stephen. Quem não apostaria se a vida tivesse lhe dado um golpe tão amargo?"

Muitos planos secretos, romances escondidos, mentiras, descobertas, investigações e fofocas. Além de nos levar para Londres com as descrições dos locais e para época com a descrição das vestimentas e costumes.

A Intrínseca tem uma área reservada para o livro onde você pode ver os vídeos do autor explicando algumas de suas ideias e também baixar o primeiro capítulo do livro. Vou deixar o link Aqui.

O autor também escreveu a série de época Downtown Abbey e eu já coloquei na minha lista do Netflix. Para aqueles que também se interessam, a Netflix tem até a 5ª temporada e no total são 6 (a séria já foi finalizada).

"A ambição, a inveja, a raiva, a avareza, a bondade, o altruísmo e, sobretudo, o amor sempre foram e sempre serão poderosos a ponto de motivar nossas escolhas."

Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!