Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Vango - Entre o Céu e a Terra

Titulo: Vango - Entre o Céu e a Terra #Vango1
Autor: Timothée de Fombelle
Gênero: Aventura
Editora: Melhoramentos
ISBN: 9788506077481
Paginas: 360
Nota: 3

Sinopse:
Salvar a pele e, ao mesmo tempo, descobrir a própria identidade. Este é o grande desafio de Vango, o jovem herói do novo romance do escritor francês 'Timothée de Fombelle'. Ao ler esse thriller histórico, ambientado no conturbado período entre as duas grandes guerras mundiais, somos impelidos a fugir com Vango pelos cinco continentes, num clima de absoluto perigo e suspense. Este rapaz órfão de 19 anos desconhece sua origem assim como desconhece a motivação do franco atirador que, além da polícia, está em seu encalço. Deparamo-nos com Vango na solenidade em que ele e outros seminaristas seriam ordenados padres na suntuosa catedral de Notre-Dame, em Paris. O assassinato do padre Jean, seu protetor, desencadeia a perseguição ao rapaz, que empreende uma fuga espetacular ao escalar nada menos do que os famosos vitrais da catedral. Essa cena é apenas um exemplo do clima de perseguição e aventura de que é feita toda a narrativa, quando acompanharemos nosso protagonista em situações e lugares improváveis - como um intruso escondido num caça da SS, galopando nas Terras Altas da Escócia, dependurado num vulcão italiano ou sobrevoando o Brasil e vários outros lugares num zepelim. O fracasso em não ter sido ordenado padre deixa nosso herói arrasado, mas a jovem Ethel fica bem feliz. É ela quem vai ajudar Vango a provar sua inocência e descobrir sua identidade. Também fazem parte da saga outros personagens marcados por vidas cheias de segredos, como Mademoiselle, a Senhora Poliglota e sem memória com quem Vango é salvo do naufrágio na costa da Sicília aos três anos de idade e Hugo Eckner, personagem verídico, comandante alemão do Graf Zepelin, esse grande dirigível que fascinou o mundo nas primeiras décadas do século XX. Outras personalidades incorporadas à história são Joseph Stalin, sua filha Svetlana e Adolf Hitler.



"Que pegada profunda era aquela que ele deixava no calçamento ou na areia por onde passasse que fazia com que sempre o encontrassem? Como haviam localizado sua pista, se mais nada o ligava à Terra?"

Hoje eu apresento a vocês um livro que muito mais do que entretenimento, envolve também um período histórico bastante marcante: As duas Guerras Mundiais.

Vango é dividido em três partes, durante todo o livro o autor nos traz passagens do presente e do passado dos diversos personagens envolvidos. Confesso que, na primeira parte do livro, fiquei um pouco confusa e o livro exigia bastante concentração. Demorei um pouco para entrar na narrativa do Timothée, mas assim que entrei foi uma aventura. O motivo que fez com que eu ficasse confusa em uma parte do caminho é o mesmo que torna esse livro diferente e especial.

A utilização de passagens no livro, com flashes do passado e do presente dos personagens, é um recurso que bastante autores utilizam. Porém em Vango encontramos lembranças de vários personagens, que possuem histórias tão interessantes quanto o protagonista. Acredito que a simplificação do livro não nos levaria ao final gracioso que encontramos.

Bom, a história de Vango é um verdadeiro mistério. Foi encontrado junto com a babá em uma ilha na Sicília e lá morou até completar 14 anos. Deixou a ilha com intenção de retornar um ano depois, mas mal sabia que muita coisa aconteceria após deixar seu lar.

"O menino foi encontrado uma hora depois, entre dois rochedos, na praia. Tinha 2 ou 3 anos. Chamava-se Vango. Estava vestido com um pijama de seda azul. Cachos de cabelo caíam nos olhos dele. Não parecia assustado. Segurava na mão um lenço bordado, todo embolado. Olhava para todos os que o cercavam."

O personagem é encantador e várias vezes o autor traz algumas descrições que nos permite a montagem não somente física como também psicológica do garoto.

"Ele cresceu com três babás: a liberdade, a solidão e Mademoiselle. As três se encarregavam de sua educação. Ele recebeu delas tudo o que era possível aprender. Aos 5 anos, compreendia cinco linguas, mas não falava com ninguém. Aos 7, subia as falésias sem precisar dos pés. Aos 9, alimentava os falcões, que mergulhavam em cima dele para comer em sua mão. Dormia com o torso nu em cima dos rochedos, com um lagarto sobre o peito. Chamava as andorinhas assobiando. Lia romances franceses que a babá comprava em Lipari, a maior das ilhas do arquipélogo. Subia até o alto do vulcão para molhar os cabelos nas nuvens. Cantava canções de ninar russas para os besouros. Observava Mademoiselle cortar os legumes com facetas impecáveis, como se esculpisse diamantes. Depois devorava sua comida de fada."

No desenrolar da história para que descubramos a verdadeira história de Vango, conhecemos diversos personagens que com suas peculiaridades nos faz aprender lições ou nos conta um ponto da história desta época tão turbulenta. Mostra-nos o pós guerra e o totalitarismo que a Itália e a Alemanha sofreram e que levaram a Segunda Guerra Mundial, desestruturando várias vidas.

O autor nos traz tanto a visão de quem era a favor daquele regime quanto quem não entendia o motivo de tanta batalha.
Ter essas visões nos faz refletir sobre como as pessoas são testadas nos momentos de grande dificuldade. E que aquele ditado que no amor e na guerra vale tudo, não é tão verdadeiro.

"Eis como nós quatro nos conhecemos: um alemão, um africano da Costa do Marfim, um italiano de batina de combate e um médico frânces, deitados embaixo do carvalho, entorpecidos, exautos, meio estropiados, sem saber o que nos havia levado até lá e o que íamos fazer. [...] Num instante, todo o absurdo da guerra se revelou aos quatro. Se combatentes podiam se conhecer à beira de um campo de batalha transformado em cemitério e partilhar uma lembrança tão frágil e tão fugidia quanto o rosto de uma moça, tudo era possível. A guerra não era uma fatalidade."

Além de toda aventura e suspense que cerca a vida do nosso jovem protagonista, podemos desfrutar de romance envolvendo alguns dos personagens.

O livro conta com uma anexo que mostra partes da história que existem dentro da história. Assim sabemos quais os personagens citados no livro que realmente existiram na nossa história. Além de diversas fotos históricas.

Esse livro daria uma boa adaptação cinematográfica, pois todos os personagens estão bem definidos e mesmo quando o protagonista não aparece, a leitura é proveitosa e interessante. O final deixou aquele gancho para o próximo livro que ainda está por vir. Então estou ansiosa para ter algumas perguntas respondidas na continuação dessa aventura.

Por enquanto só temos o título: Vango - Um príncipe sem reino. Então quem vocês acham que está comendo as unhas?! Hahaha 
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!