Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Pensándolo Bien, Pensé Mal

Título: Pensándolo Bien, Pensé Mal
Gênero: Autobiografia
ISBN: B017KLG8Y8
Autor: José Madero Vizcaíno
Ano de publicação: 2015
Editora: Class Activa
Número de páginas: 330
Nota: 4,5

Sinopse:

José Madero Vizcaíno es el vocalista y compositor del grupo de rock mexicano PXNDX. Nació un primero de Septiembre del año 1980, cuando la música y los videojuegos aún se vendían en casettes; cuando los vampiros y otros monstruos del terror sí daban miedo.Fan acérrimo de la lectura y las películas de horror, vivió su infancia teniendo encuentros constantes en la pantalla con monstruos como Jason y Freddy Krueger, se espantó con más de un libro de Stephen King, a quien ahora admira y reconoce como influencia en su trabajo, y aprendió a la mala que su verdadero temor en la vida son las mujeres...Con la idea planteada por amigos y por fans, decidió ponerse a "escribir algo", un libro, pero se encontró con que la ficción no satisface lo que deseaba expresar, y que los protagonistas de sus historias necesitarían ser reales; padres, amigos, sus compañeros de banda, maestros, jefes, las novias que tuvo, las que no lo fueron, pero sobretodo, él mismo.El documento que sostienes en tus manos es el resultado de lo que vino después. ¿Una autobiografía? No, más bien una plática directa del compositor, no escritor; una colección de pensamientos y anécdotas que nos acercan a su percepción del mundo en el que vive, su sociedad, y el medio en el que se desenvuelve; todos lugares donde la felicidad puede ser encontrada... o tal vez no.


Quando eu era mais nova, eu era bem viciada no jogo de dança Pump It Up. Na realidade ainda sou, mas como não tem mais a máquina no fliperama da cidade, só tenho como jogar no computador, o que não é nem de longe a mesma coisa. Meu vício é tanto que tenho uma playlist com a versão original das minhas músicas preferidas.

Certa vez, uma das versões do jogo veio com uma música em espanhol. Se chamava Procedimientos Para Llegar A Un Común Acuerdo, e me ganhou tanto pelo ritmo dançante quanto pela letra. Logo foi parar na minha playlist, e eu a escutava muito. As duas versões seguintes vieram com mais uma música da mesma banda cada, e eu adorei todas, e acabei decidindo procurar mais dessa banda para ouvir. Foi assim que a banda de Emocore Punk Rock mexicana Pxndx acabou entrando na minha vida, e eu acabei me tornando fã incondicional do seu trabalho.

La vida, corazón, no es una obra de ficción.
Amada por muitos e odiada por outros tantos, Pxndx se destacou no cenário musical mexicano com seu ritmo punk e suas letras românticas. Se envolveu em polêmicas, colecionou acusações de plágio, mas ainda assim construiu uma carreira sólida ao longo dos seus 20 anos de existência. Agora em hiatus por tempo indeterminado, deixou uma legião de fãs órfãos da sua música.

Por volta de 2012, época do lançamento e promoção do penúltimo disco da banda, Bonanza, o vocalista José Madero "Pepe" Vizcaíno, decidiu dar vazão a outro sonho e se dedicar a escrever um livro. Assim nasceu o autobiográfico Pensándolo Bien, Pensé Mal, escrito em cerca de 3 meses e publicado em 2014. Nele, Pepe conta sobre sua infância, seu primeiro contato com o rock, as bandas da época da escola, a breve carreira como advogado e o surgimento e evolução da Pxndx.


Eu confesso que, apesar de gostar muito da banda e ter ficado interessada no conteúdo do livro, comecei a leitura sem muitas expectativas, mas, "pensándolo bien, pensé mal". O texto me surpreendeu e eu me vi mergulhada nas páginas, devorando o livro em poucos dias.
"Mucha gente me pregunta que si me pongo nervioso cuando me paro, por ejemplo, en el Auditorio Nacional frente a diez mil personas y pues les puedo decir que la primera vez que tocamos ahí sí me estaba meando los pantalones; mis rodillas no dejaban de temblar, las palmas de mis manos estaban más húmedas que los ojos de una niña de 17 años que acaba de ver Titanic y mi garganta estaba más cerrada que la mente de un cristiano ortodoxo.” Pág. 9
O livro foi escrito como uma "conversa unilateral" e por isso traz muitos pensamentos do autor, anedotas e um tanto de divagações. É focado principalmente na carreira musical de Pepe e mostra todas as dificuldades que a Pxndx enfrentou para se estabelecer no cenário musical e o aspecto muitas vezes cruel do mercado fonográfico, apresentando todos os fatos de um ponto de vista bem pessoal. Pepe transparece seus pensamentos e opiniões no texto de uma maneira bastante intensa, e realmente faz com que a gente se sinta como se estivesse sentado ao lado dele, ouvindo ele contar todas as histórias que são narradas no livro.

"Empecé a reclamarles que los volvieran a subir [O clipe de Envejecido En Barril De Roble no Youtube], a lo que me contestaron ‘lo que pasa es que es una máquina en Londres la que lo hace automáticamente, reconoce una canción de algún artista de la disquera y lo baja sin avisar y para volverlo a subir es todo un problema’. ¿Acaso me vieron cara de imbécil o qué? Esa respuesta fue la cosa más absurda que escuchara desde que me preguntaron si las nalgas de Arturo eran prótesis.” Pág 289

A narrativa é muito gostosa e flui de maneira bem fácil, e a linguagem é simples e agradável, tornando o texto bem tranquilo mesmo para quem tem apenas um nível básico de espanhol. Outro ponto alto do livro é a forma sincera como Pepe aborda até os temas mais delicados, como a separação dos seus pais, a acusação de plágio com a música Miedo A Las Alturas, a polêmica apresentação da Pxndx no RockN Exa de 2007 e os problemas com a Bonanza Tour 2012. Para quem é fã de Pxndx, esse livro é uma leitura obrigatória, mas até quem não conhece a banda pode se divertir bastante com a leitura e se envolver com esse mundo do "rocanrol" apresentado pelo Pepe.

Nunca nadie nos podrá parar!

Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!