Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: O clube da luta


Por: Amanda Pereira

Título: O Clube da Luta (Fight club)

Gênero: Triller/Drama Psicológico

ISBN: 9878580444490

Autor: Chuck Palahniuk

Ano de publicação: 2012

Editora: Leya

Páginas: 270


Sinopse: 
Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição.O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente.O livro foi filmado em 1999, por David Fincher (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que possui duas nomeações ao Oscar, que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.


"Esta é sua vida e ela está acabando, um minuto por vez" Pág 32.

A primeira regra para que você leia essa resenha é: você não fala sobre o clube da luta. Deixado isso claro e também o fato que todos definitivamente iremos desrespeitar essa regra, podemos prosseguir.
O clube da luta é um daqueles livros que é impossível não falar sobre. Mesmo sendo um livro contemporâneo, tendo a primeira publicação sido realizada em 1996, já é considerado um clássico e, por muitos, leitura obrigatória. É difícil dizer o que tornou o livro um sucesso tão grande, assim como o filme de 1999 com Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter, mas sabe-se que é um livro que a partir do momento que você começa a ler te torna refém até que termine.

 “[...] apenas ao me destruir posso descobrir o poder superior do meu espírito.” Clube da Luta, pag. 136

Acompanhamos um jovem sem nome, no filme interpretado por Edward Norton, que vive uma vida tranqüila, porém sem tempero, nada a que pudesse se apegar. Um apartamento, um carro, sofás Haparanda e um conjunto de facas Alle, além de mais um monte de coisas que ele mesmo coloca como vazias. Ele trabalha como coordenador de campanhas de Recall. Apesar desta vida aparentemente confortável a qualquer amante do capitalismo, nosso herói, que vamos chamar de Vesícula Biliar de Joe, tem sérios problemas para dormir, suas insônias só podem ser controladas indo a reuniões de grupos de apoio.




Em uma dessas reuniões conhecemos Marla Singer, que claramente, assim como Vesícula biliar de Joe, está ali de penetra, já que é uma reunião do grupo de apoio a câncer de testículos. E lá está ela novamente nos parasitas cerebrais, e em todos os outros grupos de apoio, o que dificulta os problemas de insônia do nosso herói novamente, já que Marla conhece o segredo dele.
Uma coisa difícil na leitura de O Clube da Luta é estabelecer a cronologia de acontecimentos, já que a narrativa não é linear, porém na minha leitura Vesícula Biliar de Joe conhece Tyler antes de conhecer a Marla, e é no ponto que nos é contado como nosso herói conheceu Tyler que a história começa realmente a tomar forma.



Tyler Durden é o anti-herói, e ele chega para transformar completamente a vida de Vesícula Biliar de Joe. Tyler é o total oposto de nosso herói, vive como bem entende, sem se preocupar com bens materiais, trabalhando geralmente com bicos em várias cidades, sendo um dos principais como projecionista. Antes de realmente contar como se conheceram, Tyler é muito citado no livro, e já desde o primeiro capitulo está muito presente, mas apenas depois de conhecermos a origem do relacionamento dos dois é que efetivamente começamos sentir o Tyler como um personagem palpável na história.

Como eu disse a narrativa não é linear, então temos uma série de acontecimentos que ocorrem de capitulo a capitulo que apenas com uma leitura bem atenta podemos colocar em ordem.
Após um acidente em seu apartamento, em que perde tudo, nosso herói pede ajuda a Tyler, que só aceita caso este lhe dê o soco mais forte que conseguir, e assim nasce o Clube da Luta, aonde homens normais, jardineiros, cozinheiros, policiais, coordenadores de campanhas de recall, etc; vão para aliviar suas frustrações e colocar ordem nas próprias vidas, e onde, parafraseando nosso herói, se salvam de serem completos e perfeitos, ali também nasce a verdadeira relação entre Vesicula Biliar e Tyler, que passam a morar junto na Paper Street, além de um triangulo amoroso que se torna cada vez mais destrutivo.

“Um dia eu morrerei sem nenhuma cicatriz, mas terei um belo apartamento e um lindo carro.” Clube da Luta, pag. 58

O Clube da luta é uma obra completa, que tem a capacidade de te surpreender nos mínimos detalhes de sua trama extremamente bem construída, e de forma alguma cria estranheza o fato de ter se tornado uma obra tão cultuada no mundo todo, tanto quando se trata do livro, como quando se trata do filme, que como o próprio Chuck afirma é uma excelente complementação para a obra.
Também tenho que dizer que para mim a obra se tornou ainda mais magnífica na segunda leitura, já conhecendo a resolução, por isso recomendo a todos que já leram a obra relerem, pois apenas na segunda leitura é que conseguimos perceber as nuances da escrita de Chuck, que esconde tão bem uma coisa que coloca bem na frente do seu nariz.
Share on Google Plus

2 comentários:

  1. Esse livro deve ser maravilhosooo. Eu to a mais de um ano pra ler e até deixei de ver o filme que passou no corujão pra ler primeiro. Preciso tomar jeito e comprar logo haha

    BLOG: http://obaucultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro pela primeira vez ano passado e, já nas primeiras páginas, matei a charada principal. Isso não estragou a leitura - muito antes pelo contrário, me fez admirar a narrativa e o autor cada vez mais a cada página em que ele mostrava sua genialidade. Vi o filme posteriormente e gostei, mas não acho que chegue perto de se equiparar ao livro. Ótima resenha! Adorei você ter chamado ele de Vesícula Biliar do Joe hahaha
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!