Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias - Trilogia de Cinco

Por: Thalinne Mafra


Título: O Guia do Mochileiro das Galáxias
Gênero: Ficção Científica
5 volumes da famosa trilogia de 5
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
Nota média: 9,8
Ficha para cada volume no final deste post




"E então, uma quinta-feira, quase dois mil anos depois que um homem foi pregado num pedaço de madeira por ter dito que seria ótimo se as pessoas fossem legais umas com as outras só pra variar, uma garota, sozinha numa pequena lanchonete em Rickmansworth, de repente compreendeu o que tinha dado errado todo esse tempo e finalmente descobriu como o mundo poderia se tornar um lugar bom e feliz. Desta vez estava tudo certo, ia funcionar, e ninguém teria que ser pregado em coisa nenhuma.Infelizmente, porém, antes que ela pudesse telefonar para alguém e contar sua descoberta, aconteceu uma catástrofe terrível e idiota, e a ideia perdeu-se para todo o sempre.Esta não é a história desta garota.É a história daquela catástrofe terrível e idiota, e de algumas de suas consequências." O Guia do Mochileiro das Galáxias, pág. 10

O Guia do Mochileiro das Galáxias conta a história de Arthur Dent, um terráqueo que está tendo um dia muito, muito ruim. Ás 08:00 da manhã desta fatídica quinta-feira, dia em que toda a história do Universo será alterada, Arthur é acordado pelas máquinas da prefeitura, que estão prestes a demolir a sua casa para construir uma via expressa no lugar.

Ainda de pijama e enlameado por ter deitado na porta de casa na tentativa de impedir a demolição, Arthur é levado pelo seu melhor (e único) amigo, Ford Prefect, a um pub, onde Ford dá a Arthur uma terrível notícia: naquela quinta-feira, a Terra seria demolida para a construção de uma via expressa intergaláctica. A verdade sobre Ford então vem à tona: ele não é um terráqueo, como Arthur pensava até então, mas sim um correspondente do famoso Guia do Mochileiro das Galáxias que acabou preso na Terra por 15 anos, por falta de uma nave que lhe desse carona.

Eis então que a dupla foge da demolição da Terra pegando carona na nave Vogon, a raça responsável pela demolição da Terra e conhecida pelo seu comportamento burocráticoe por torturar seus prisioneiros recitando para eles suas terríveis poesias.

Dinamite
Arthur e Ford acabam expulsos da nave Vogon, mas acabam resgatados, graças a uma enorme improbabilidade, pelo presidente da Galáxia, Zaphod Beeblebrox, que é também primo de Ford. O real objetivo de Zaphod quando ingressou no cargo de presidente da Galáxia era roubar a nave Coração de Ouro, movida por um Gerador de Probabilidade Infinita, e partir em uma viagem para tentar descobrir a pergunta para a vida, o Universo e tudo mais. Além de Zaphod, também tripulavam a nave Trillian, uma terráquea que havia dado o fora em Arthur numa festa a fantasia para ficar com um cara usando duas cabeças (que na verdade não era fantasia, era o próprio Zaphod sem usar disfarce nenhum), e Marvin, um robô extremamente inteligente, com QI absurdamente maior que o de qualquer ser humano, mas apresentando fortes traços depressivos. Juntos, os cinco partem em diversas aventuras pelas Galáxias para tentar descobrir os mistérios do Universo.

Disfarçado de ficção científica, o Guia é na verdade uma grande sátira da humanidade. Douglas Adams preenche as entrelinhas do seu texto levantando várias questões filosóficas. É uma leitura que te faz rir, e depois pensar. Definitivamente, não é uma série para ser devorada em pouco tempo, mas sim ser lida aos poucos, com calma, prestando atenção em cada detalhe pois, por mais bizarra que possa parecer alguma passagem, ela sempre vai ser importante para entender algo dito mais à frente na história.

"Existe uma teoria que diz que, se alguém descobrir exatamente para que serve o Universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais estranho e inexplicável.***Existe uma segunda teoria que diz que isso já aconteceu." O Restaurante no Fim do Universo, pág. 5
Mas o que é esse Guia do Mochileiro das Galáxias?
O Guia do Mochileiro das Galáxias é uma enciclopédia contendo verbetes sobre tudo relacionado ao Universo. Superou a Enciclopédia Galáctica como maior repositório de conhecimento e sabedoria por ser mais barato e por trazer na capa, em letras garrafais e amigáveis, a frase "NÃO ENTRE EM PÂNICO".

E esse 42, o que significa?
42 é a resposta para a vida, o universo e tudo mais. Essa resposta foi encontrada por um supercomputador chamado Pensador Profundo, que levou milhões de anos para fazer os cálculos que levaram a esse resultado. É claro que essa resposta não fez sentido algum, então o Pensador Profundo explicou que para entendê-la era necessário conhecer a pergunta para a vida, o Universo e tudo mais.

Tá, mas e a pergunta para a vida, o Universo e tudo mais?
Para calcular a pergunta para a vida, o Universo e tudo mais, foi construído um novo supercomputador, ainda mais potente que o Pensador profundo. O supercomputador levou bilhões de anos para fazer seus cálculos mas, quando estava prestes a chegar na solução, um terrível incidente, ocorrido numa fatídica quinta-feira, acabou levando-o à destruição.

E a toalha? Por que ela é tão importante?

"O Guia do Mochileiro das Galáxias faz algumas afirmações a respeito das toalhas.
Segundo ele, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre elas nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítmos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kabrafoon; pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas e pesadas do rio Moth; pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em um combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você - estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; e naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa.
Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc., etc. Além disso, o estrito terá prazer em emprestar ao mochileiro qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha "acidentalmente perdido". O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está a sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.

Daí a expressão que entrou na gíria dos mochileiros, exemplificada na seguinte frase: 
"Vem cá, você sancha essa cara dupal, o Ford Prefect? Tai um mingo que sabe onde guarda a toalha." (Sancha: conhecer, estar ciente de, encontrar, ter relações sexuais com; dupal: cara muito incrível; mingo: cara realmente muito incrível.)O Guia do Mochileiro das Galáxias, pág. 27-28
 O que o Guia diz sobre a Terra:
"Praticamente Inofensiva" Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes!, pág. 12




Algumas observações da autora geradas por Improbabilidade Infinita:


  1. Meu maior orgulho nesse texto foi ter conseguido escrever "Zaphod Beeblebrox" sem consultar os livros ou a internet
  2. Passei os cinco livros da série lendo "Ford PERfect". Até que um dia alguém me falou que o certo era "PREfect". Fico me perguntando se foi intencional do Douglas Adams causar a confusão.
  3. Depois de ler o Guia e algumas pesquisas científicas, cheguei à conclusão de que os golfinhos realmente são os seres mais inteligentes do planeta.
Fichas para cada volume:


Gênero: Ficção Científica
ISBN: 9788599296578
Autor: Douglas Adams
Ano de publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 205
Nota: 10


Gênero:Ficção Científica
ISBN: 9788599296585
Autor:Douglas Adams
Ano de publicação:2009
Editora:Arqueiro
Número de páginas: 176
Nota: 10


Gênero:Ficção Científica
ISBN: 9788599296592
Autor:Douglas Adams
Ano de publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 221
Nota: 10


Gênero: Ficção Científica
ISBN: 9788599296974
Autor: Douglas Adams
Ano de publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 142
Nota: 10


Gênero: Ficção Científica
ISBN: 9788599296981
Autor: Douglas Adams
Ano de publicação: 2009
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 192
Nota: 9
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!