Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Pequena enciclopédia para descobrir o Brasil


Por: Paulo Machado

Título: Pequena enciclopédia para descobrir o Brasil
Gênero: História
ISBN: 8587864742
Autor: Margaret Presser
Ano de publicação: 2006
Editora: Senac Rio
Páginas: 360
Avaliação: 4,0

Sinopse: 
"Nesta obra, o leitor encontrará muitas informações sobre a história do Brasil. Há diversas datas e vários nomes. Números em quase todos os verbetes. No entanto, esses dados são usados aqui como meras referências, a partir das quais se faz uma reflexão sobre cada tema. Nesse sentido, cada verbete é desenvolvido muito mais como um pequeno e despretensioso ensaio do que propriamente como um verbete enciclopédico. Espera-se que os estudantes, como este material de apoio, disponham de mais elementos para fazer outras leituras de seu material didático, dando sentido a informações que costumam aparecer ora em um livro de geografia, ora em um texto literário, ou ainda no noticiário de televisão, na Internet, nas ruas, e estimulando-os a encontrar novas histórias nas entrelinhas da história que lhes chega por todos esses veículos."


Em 22 de abril de 1500, dentro do contexto das grandes navegações encabeçado pelas potências europeias da época, Pedro Álvares Cabral chegava ao Brasil à frente de uma esquadra composta por 13 caravelas. De início não sabia ao certo se a nova terra se tratava de uma grande ilha ou de um continente. A região foi então batizada de Ilha de Santa Cruz. Depois ao terem certeza que se tratava de um continente, rebatizaram de Terra de Santa Cruz. Só mais tarde, depois da descoberta do pau-brasil em abundância ao longo da costa é que a região foi rebatizada de BRASIL.

Hoje, 22 de abril de 2016, 516 anos após a chegada de Cabral ao Brasil, a Sociedade dos Leitores Compulsivos trás a resenha do livro Pequena enciclopédia para descobrir o Brasil.

A leitura foi uma jornada de descobertas do início ao fim. O livro é de grande valor, mas não só para aqueles que amam história, e mais especificamente a história do Brasil. A obra também pode ser apreciada por vestibulandos e ser utilizada como acervo de pesquisas para trabalhos estudantis de vários níveis, desde o fundamental, tendo utilidade também para os alunos de ensino médio e até aos de ensino superior, dependendo do curso, claro.
O livro Pequena enciclopédia paradescobrir o Brasil é organizado como um dicionário, com vários verbetes e termos de A a Z, desde o termo Acre até o termo Vasco da Gama. É uma brilhante reunião de dados históricos e estatísticos de diversas áreas.
Através da leitura é possível compreender e refletir melhor sobre os povos indígenas do Brasil colônia, sobre o processo de escravidão, entendendo o fluxo do tráfico de escravos da África para cá e outros pontos importantes do início da nossa história.
A obra faz ainda um sobrevoo pela história de cada estado e do Distrito Federal, tendo um verbete exclusivo para cada divisão política do país. Outros termos que achei bem interessantes no livro são os verbetes “Franceses no Brasil” e “Holandeses no Brasil”, que falam sobre as duas colônias francesas fundadas no Brasil, a França Antártica, instalada na Baía de Guanabara, onde hoje fica o Rio de Janeiro e, a França Equinocial, colônia francesa que foi estabelecida nos arredores de São Luís no Maranhão. Sobre a parte dos holandeses no Brasil, a autora Margaret Presser teve sucesso em contar sobre a ocupação holandesa na costa do nordeste Brasileiro, principalmente na faixa de Olinda à Recife, região que batizaram de Nova Holanda.
Outros termos são dedicados a alguns navegadores como Pedro Álvares Cabral, Bartolomeu Dias e Vasco da Gama, por exemplo. Pero Vaz de Caminha e Luís de Camões não ficaram de fora. As bulas papais, os escravos e produtos de comércio também aparecem na obra. Sobre os indígenas, alguns mencionados são os índios Potiguares, os povos Tupinambás, os Goiases, Goytacazes e os Tamoios, sendo este último povo comentado no verbete “Confederação dos Tamoios” e aparecendo em muitas outras passagens do livro, isso devido à tamanha importância dos Tamoios na história do Brasil. Outro termo muito interessante no livro é o “Portugueses pelo mundo”, que conta com um mapa para ilustrar por onde navegavam os portugueses no período das navegações, contando com dados dos países onde a língua oficial é o português, mas também contando sobre Macau, na China e regiões como Goa, Damão e Diu, na Índia, regiões onde se fala o português, mas que a língua vem desaparecendo gradativamente.
Eu li e adorei. Recomendo!
Muitas das partes da história que eu julgava como chatas, hoje eu adoro e sempre pesquiso mais sobre vários verbetes dessa pequena enciclopédia.
E aí... vamos descobrir o Brasil?
Boa leitura!
Até a próxima :)
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!