Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Antes mal acompanhada que solteira

Por; Giu Sena


Título: Antes mal acompanhada que solteira

Autora: Wendy Markham


ISBN: 8576872358

Gênero: Chic Lit

Páginas: 395

Editora: Harlequin Books

Nota: 7,5

Sinopse: 
Para qualquer mulher que sobreviveu a um longo verão calorento em uma cidade grande, 'Antes mal acompanhada que solteira' é aquela brisa leve que estava faltando! 'Uma onda de calor em Manhattan é o suficiente para deixar qualquer mulher louca, mas, para Tracey Spadolini, uma moradora de Nova York vinda de fora e que foi 'deixada para trás' no verão, não são só as altas temperaturas que a fazem suar. Will, seu namorado aparentemente fixo, só volta em setembro, quando poderão dar prosseguimento à relação (?) do ponto em que tinham parado. Mas nos dias que se seguem à partida de Will, Tracey resolve que chegou a hora de colocar os pés no chão. O apartamento sem ar-condicionado em que mora no East Village é uma pocilga, seu cargo de nível júnior em uma agência de publicidade é a maior chatice, as coxas não parecem estar afinando nem um pouco e Will simplesmente evaporou da face da Terra. Com a ajuda dos amigos e Buckley, um sujeito muito atencioso, Tracey resolve passar o verão se reinventando... E dando a si mesma a oportunidade de gostar da nova mulher em que se transformou. 'Antes mal acompanhada que solteira' é uma descrição honesta e divertida dos dilemas universais femininos, vistos da perspectiva de uma mulher em busca de si mesma.


Talvez você tenha uma amiga ou conhecida que está em um relacionamento fadado ao fracasso ou que anda com a autoestima lá embaixo. Essa é a descrição de Tracey, a protagonista de Antes mal acompanhada que solteira. Ela não está feliz com seu trabalho e nem com seu apartamento. E para piorar seu namorado Will irá embarcar numa viagem a trabalho deixando nossa garota sozinha durante o verão.

Em alguns momentos eu senti uma revolta muito grande com a Tracey, com a maneira que ela deixa sua vida caminhar e principalmente como ela leva seu relacionamento com seu namorado Will, amando bem mais que a outra parte. Se você conhece alguém como a Tracey você sabe do que eu estou falando, é irritante como ela não se valoriza.


“Em uma relação saudável, as pessoas se amam e se aceitam do jeitinho que são. E é isso que will e eu temos, lembro a mim mesma. (...) acho que sou eu que não me aceito”


Mas então Tracey resolve fazer um plano de melhoramento e isso somado a mais algumas coisas que acontecem durante a história fazem a personagem crescer e mudar aos poucos.


O livro segue um ritmo bom, porém se perde em alguns momentos, mas nada que te faça querer largá-lo. A narrativa é em primeira pessoa, o que nos ajuda a entender os sentimentos de Tracey. E o final é bem diferente do que costumamos ler nos livros, diferente até demais, mas depois de refletir, esse final se tornou um dos meus preferidos pelo significado que ele tem e pela mensagem que ele passa.
“Case com alguém que a ame mais do que você deseja que ame. Case com alguém que a ame mais do que você o ame. Porque ele sempre vai tratar você como uma rainha. Ele sempre vai estar a disposição. E você vai aprender a corresponder a esse amor.”
Se você conhece alguém como a Tracey, por favor, indique esse livro para ela, se você desconfia que age como a personagem, por favor, leia o livro (ele pode abrir seus olhos) e se você não se enquadra nas duas alternativas anteriores, leia o livro mesmo assim porque vale a pena relembrar algumas lições que o livro pode te ensinar.
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!