Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: A poesia nos poentes do silêncio

Por: Paulo Machado

Título: A poesia nos poentes do silêncio
Gênero: Poesia
ISBN: 9788542802818
Autor: Paulo Ouricuri
Ano de publicação: 2014
Editora: Novo Século
Avaliação: 8,5

Sinopse: 
Uma lacuna na poesia é disputada por mil palavras; um verso é o disfarce do infalível; o lirismo é o eco de musas mudas e o poema é a hóstia de um silêncio inconformado.




[...]“Um poeta só pode ser lido                               Por outro poetaPode ser um poeta consumado (pelas obras)                               Ou um poeta consumido (pela paixão)                               Mas tem que ser poeta                               Para se ler uma poesia”                                                                              [...]Trecho do poema “Só poetas leem poetas” Pág 28. 





Olá, Sociedade!

Hoje 21/03 é o dia internacional da poesia!


Nossa resenha do dia é sobre a obra “A poesia nos poentes do silêncio” de Paulo Ouricuri.

A obra é uma coletânea de poesias do autor. Foi publicado em 2014 pela editora Novo Século sob o selo Talentos da Literatura Brasileira.

A poesia nos poentes do silêncio contempla ainda, além de dezenas de poesias do autor, algumas homenagens à grandes nomes do gênero literário como o brasileiro Carlos Drummond de Andrade, o grandíssimo português Fernando Pessoa e, o autor de romances Franz Kafka, de nacionalidade austro-húngara.

E não é apenas sobre o silêncio que Ouricuri poetiza aqui: O medo, imigrantes e, o tempo, este último sendo tratado sobre o ontem e o agora, também são abordados na obra.


A orquídeaA orquídeaOrquestra                                InadvertidamenteA razãoDe seu arrancamentoPara exposição                De sua beleza                Em estado de iminentePutrefaçãoPoema “A orquídea” Pág. 42 – Ouricuri, Paulo





Com certeza você irá refletir com as mensagens que vêm de bagagem em cada poema da obra. Um poema que gosto muito é “O imigrante” – Pág. 44, que mesmo publicado em 2014 me colocou para refletir sobre a realidade de muitos refugiados nos anos de 2015 e 2016.


             “Arrancou do peito um punhado de coragemE partiu como um argonauta intimoratoNavegou numa galeria de incertezasLevando no coração três saudadesA infância, a amada e a língua”[...] Pág. 44



A obra de Ouricuri é bela e moderna
A linguagem leve, mas às vezes é necessário recorrer ao dicionário
Se pretende melhor entender
Siga a dica
Que oportunidade
Enriquecer o seu vocabulário
Vai na minha verdade
Olha que presente
Esta resenha
No poente da celebração
Para o dia da poesia
Que alegria
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!