Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha - O dia da caça

Por: Paulo Machado

Título: O dia da caça
Gênero: Policias
ISBN: 9788580413175
Autor: James Patterson
Ano de publicação: 2014
Editora: Arqueiro

Sinopse: 
Alex Cross está diante do criminoso mais cruel que já enfrentou. Quando o detetive Alex Cross é chamado para investigar um caso de assassinato, depara-se com a cena de crime mais terrível que já viu em toda a sua carreira: uma família inteira foi morta dentro de casa. Tudo fica ainda mais chocante quando ele descobre que uma das vítimas é Ellie Cox, sua ex-namorada dos tempos de faculdade. Furioso, Cross decide pegar o assassino a qualquer custo. 


Logo depois outro crime acontece, novamente envolvendo uma família inteira, só que dessa vez alguns membros dela estavam nos Estados Unidos e outros, na África. A investigação leva a crer que o assassino, conhecido apenas como Tiger, viajou para a Nigéria. Sem hesitar, Cross vai atrás dele. O detetive entra numa caçada implacável, numa terra sem lei. 

Ao chegar lá, Cross se vê diante de um terrível cenário de miséria, violência e guerra civil iminente. Sem nenhuma ajuda, ele se envolve numa luta contra a corrupção e contra uma conspiração que parece não ter fronteiras, que pode pôr em risco sua vida e a de todas as pessoas que ele ama. 

Nesta longa e emocionante jornada, Alex Cross se envolve no caso do assassinato de uma família inteira num bairro nobre de Washington DC (EUA). Para Cross, este deixa de ser um caso qualquer quando descobre que as vítimas são Ellie Cox – sua ex namorada dos tempos de faculdade – seu marido e seus filhos. Não apenas por ser um crime que envolve sua ex namorada, mas também por tamanha crueldade praticada pelo assassino... ou assassinos. Os corpos foram encontrados empilhados e mutilados.



Outros crimes nos arredores de Washington, também praticados com violência e frieza colocam Cross, Bree Stone (atual companheira de Cross e também detetive) e Sampson (melhor amigo e também detetive) em alerta. Crimes estes praticados não com tanta crueldade quanto o caso da família Cox, mas estes acabaram deixando rastros que indicam que seja lá quem for que esteja por trás destes assassinatos, fugiu para a África, onde continuou com uma sucessão de crimes.


Determinado a capturar quem quer que seja o assassino, Cross prepara suas malas e vai à Nigéria, onde começa sua caça, mas em território muito conhecido pelo inimigo, nada é fácil. Lá Cross é apenas Cross, num lugar onde violência e corrupção são de nível terrivelmente assustador – sim, o Brasil está muito atrás da Nigéria em corrupção e violência -, mas o detetive Cross não sabe o que o aguarda por lá, não sabe nem ao certo se será ele mesmo o caçador, ou se será a caça. O cara de Cross é ágil e está sempre em movimento, sempre um passo à frente. Esta emocionante caça acaba o levando para Serra Leoa – mesmo país do enredo do filme “Diamante de Sangue” de Edward Zwick. Quem já assistiu deve imaginar que lá, Cross encontraria fome, pobreza, violência... até mais que isso... guerra!

"Talvez eu já soubesse mais do que eu queria sobre aquele país pequeno e triste chamado Serra Leoa. Os rebeldes dali tinham matado mais de 300 mil pessoas nos últimos anos, às vezes decepando primeiro suas mãos e seus pés, ou incendiando casas onde famílias dormiam, ou arrancando fetos do útero de suas mães. Eles criavam 'anúncios de terror', mensagens entalhadas nos corpos das vítimas que escolhiam poupar e usar como cartazes ambulantes". Pág 74

O livro “O dia da caça” é incrível. James Patterson é em minha opinião, um mestre em jogar grandes doses de realidade em suas histórias de ficção policial. Nesta obra, escancara para o leitor a realidade africana na Nigéria e em Serra Leoa, países onde parece não existir lei alguma, pior do que isso, parece não haver o que fazer para ajudar aquele povo. Durante a leitura, às vezes eu dava um tempo e comparava a história com os noticiários. Cheguei até a pesquisar na internet por “assassinatos à moda nigeriana” e as imagens não eram nada agradáveis de se ver. Pesquisei apenas para ter certeza se o que eu mentalizava durante a leitura era como o que ocorre de verdade. Bem, voltando ao autor, Patterson é sim um mestre e meu autor favorito do gênero policial. Teve mais de 230 milhões de livros vendidos pelo mundo e é o recordista de presença nas listas de mais vendidos do The New York Times. E, por falar em pelo mundo, em Portugal, a obra foi publicada sob o título "A caça" pela editora Topseller. Até prefiro o título da versão lusa, já que a caça em si não se passa em um único dia, que foi o que imaginei quando resolvi comprar este livro.

"Não adianta prender os Janjawid - dise Adanne - Eles têm negócios com o governo. Isso só traria mais problemas para os campos. A ONU não pode ajudar. Ninguém pode." Pág 114
Foto por Paulo Machado

A Narrativa é bem leve. É composta por capítulos curtos. O livro não é longo. Li em poucos dias, mas leitores mais assíduos o devorariam em um único dia. Nossa versão brasileira publicada pela editora arqueiro foi traduzida por Fabiano Morais. Ah, e antes que eu me esqueça, o título original em inglês é "Cross country".

O que levou alguém a praticar crimes tão bem planejados e cruéis? Ou mais que isso, o que levou esse alguém a fugir para a África e continuar com suas barbáries? Qual a relação de Ellie Cox com as demais vítimas em Washington? Ou mais que isso, será que ela tinha conhecimento sobre algo que não deveria saber? Olha, leia e descubra. Você não vai se arrepender ;)
Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!