Clique em "Participar deste site" e fique por dentro de tudo o que rola no blog Sociedade dos Leitores Compulsivos!

Resenha: Colega de quarto

  

Por: Giu Sena

Título: Colega de quarto
 Gênero: Policial
 ISBN: 9788562409509
 Autor: Victor Bonini
 Ano de publicação: 2015
 Editora: Faro Editorial

Sinopse: 
Eric Schatz, carioca que se mudou para São Paulo por conta do curso universitário, começa a perceber indícios de que há mais alguém frequentando o seu apartamento. Primeiro, um par de chinelos. Então, uma outra escova de dentes. Um micro-ondas que é ligado sozinho durante a noite, barulhos estranhos a qualquer hora e luzes que se apagam de modo misterioso. Até que, em determinada noite, Eric enxerga o vulto do colega de quarto entrar em seu apartamento pela porta da frente. Desesperado, o rapaz vai atrás de um detetive particular, mas parece ser tarde demais. Em menos de 24 horas, tudo acontece de modo acelerado e depois de uma ligação desesperada, cortada abruptamente, Eric despenca da janela do seu apartamento. Em seu livro de estreia, o autor nos apresenta uma história urbana de tirar o fôlego. Um mistério que passa por uma relação familiar complicada, suspeitas por todos os lados, e camadas e camadas de culpados. Há alguém inocente?


Com uma trama original onde reviravoltas não são economizadas, Colega de quarto conta a história de Eric, um jovem carioca herdeiro de uma famosa editora que está em São Paulo a estudo e que de repente começa a se deparar com eventos muito, mas muito assustadores acontecendo em seu apartamento, o que o leva a acreditar que há um colega de quarto indesejado morando com ele. Tentando resolver seus problemas ele procura a ajuda de Conrado Bardelli, um advogado que também trabalha como detetive particular.

De forma repentina o caso toma proporções maiores e Bardelli se vê trabalhando no caso
junto com a polícia.
Eric é um personagem um tanto quanto arrogante, mas como sua vida está bem complicada e assustadora, é só nos colocarmos no lugar dele que começamos a ter certa compaixão pelo rapaz. Afinal, quem não surtaria se suspeitasse que seu apartamento conta com um colega de quarto misterioso?

Já Bardelli é astuto e conduz a investigação com jogo de cintura. Embora em um primeiro momento a impressão que tive foi de que ele fosse um investigador casca grossa, logo percebi que estava errada, na verdade ele pode ser classificado como o policial bonzinho, com um humor, sagaz e um bom coração.

Como a maioria das investigações conta com um policial bom e outro mau, você deve estar curioso para saber quem é o malvado. Pois bem, podemos dar esse titulo ao delegado Wilson; não que ele seja verdadeiramente malvado, mas digamos que a montanha de músculos e a paciência limitada seja um pouco intimidantes.


“... sou da opinião de que quase tudo o que acontece há obrigatoriamente uma reação instantânea. Se você joga um chiclete no chão, alguém atrás de você vai pisar nele e te xingará por isso. Se você esconde um cadáver de um mendigo em um terreno baldio, por mais que o homem não tenha família que o procure, o padeiro que costumava dar pão ao cara no almoço notará a ausência do seu fiel pedinte e acionará a policia..” Pag. 194


A capa do livro consegue transmitir a atmosfera da história: de suspense e medo. O livro é divido em três partes com capítulos curtinhos. A leitura flui muitíssimo bem, Victor Bonini consegue detalhar características e ambientes sem ser cansativo e introduzir um elemento novo a cada capítulo, o que me fez não desgrudar do livro, ansiosa para a próxima revelação.
Durante a leitura criei várias hipóteses para a solução do caso, suspeitei de vários personagens e confesso que não consegui acertar o final (o que eu realmente adoro que aconteça).


“os dois se calaram, intrigados com o mistério que pairava naquele mesmo apartamento, impregnado nas paredes. Passaram os olhos ao redor, como se pudessem vislumbrar em qualquer lugar do cômodo alguma resposta sobre o que se passara ali, poucas horas antes.” Pag. 44.


Além de um final surpreendente Victor Bonine não deixou nenhuma ponta solta, além de nos mostrar que várias pistas foram deixadas ao longo do livro. Ou seja, se você gosta de livros policiais com um grande final, precisa ler colega de quarto.

Share on Google Plus

0 comentários:

Olá, compulsivo (a)!!!

Sinta-se à vontade e diga-nos o que achou deste post!